Tuesday, June 14, 2005

O BRASIL PARA AMERICANO VER

Em 2002 estive nos Estados Unidos, na ocasião um episodio do desenho animado Os Simpsons parodiava o Brasil só que de uma maneira ignorante, o sangue de jornalista ferveu novamente e decidi escrever um artigo que foi enviado ao editor do Jornal Los Angeles Times que reproduzo a seguir.

Informações sobre o Brasil em aulas nas principais escolas norte americanas é algo completamente pequeno, o que causa muitas vezes um pré-julgamento a respeito da população brasileira. Um episódio do desenho animado Os Simpsons exibido recentemente nos Estados Unidos causou um ar de indignação a uma grande parcela dos brasileiros. Apesar de ser um desenho cômico que parodia tudo, inclusive o modo de vida americano, para aqueles que não conhecem o Brasil, uma visão completamente negativa do país foi formada.
Em 22 de abril de 2000 completaram-se 500 anos do descobrimento do Brasil pelo navegador português Pedro Álvares Cabral com sua frota de 13 navios. Foi o começo da exploração dos recursos naturais do país e da matança de indígenas por Portugal até a independência do Brasil em 7 de setembro de 1822 por Don Pedro I.
A República Federativa do Brasil é um país de proporções continentais com uma área de 8.547.403 km2 e com uma população, segundo cálculos do IBGE, de 161.790.311 habitantes, 26 estados e um distrito federal. O idioma oficial do país é o português. A expectativa de vida dos brasileiros é de 64 anos para os homens e 71 anos para as mulheres. A renda per capita é na base
A taxa de analfabetismo é alta, sendo em 1996, 15 % do total da população.
A qualidade do jornalismo produzido no Brasil é um dos melhores do mundo, principalmente nas áreas do jornalismo investigativo, correspondência internacional e de guerra. Repórteres como Hermanno Henning, Roberto Cabrini e José Arbex Jr. fizeram a história do jornalismo no país acompanhando com imparcialidade várias crises internacionais e tragédias brasileiras nos últimos 30 anos. Hoje o país conta oficialmente com 45 jornais diários, 399 estações de rádio, 278 estações de televisão.
Nas últimas décadas o Brasil passou por profundas mudanças, herdadas de vários anos de regime militar.
Um dos movimentos mais importantes para a retomada da democracia no Brasil aconteceu no dia 25 de janeiro de 1984, no mesmo ano que o barco Barão de Tefé navegaria para estabelecer a primeira base nacional na Antártida; uma manifestação de protesto como se nunca viu na história brasileira aconteceu no centro de São Paulo, mas precisamente em frente à Praça da Sé. Era também aniversário da cidade São Paulo. Foi o dia do maior comício já realizado no Brasil. O objetivo das manifestações era a aprovação pelo Congresso Nacional da Emenda de Lei apresentada pelo então deputado Dante de Oliveira (PMDB/MT), que estabelecia as eleições diretas para a Presidência da República.
O movimento das Diretas-Já, acima de tudo, foi um movimento em prol da liberdade e da democracia, um grito direto contra o regime militar e de políticos opositores ao regime de João Baptista Figueiredo.
Foi uma das raras vezes que se viu em uma mesma arena, Ulysses Guimarães, Leonel Brizola, Luiz Inácio Lula da Silva e dezenas de outros políticos juntos com um só ideal: eleições diretas para presidente.
O então governador de São Paulo Franco Montoro, no dia da manifestação liberou as catracas do metrô. As escolas e pequenas empresas liberaram mais cedo seus funcionários e alunos para participarem do evento.
Em frente à praça da Sé, milhares de bandeirinhas vermelhas de partidos até então clandestinos (PCB,PC do B), faziam um contraste colorido com as bandeiras verde amarelas, quando começou a chover as bandeirinhas serviram como proteção da fina chuva. Todos tiveram o direito de falar, Lula foi o mais aplaudido naquele dia e quando pediu ao povo que não vaiassem os outros partidos foi ovacionado como um herói. O Radialista Osmar Santos levava o público ao delírio, ao mesmo tempo em que conseguia controlar a população, permitindo até que políticos do PDS e PTB, que eram vaiados, falassem no palanque.
De uma hora a outra Osmar Santos gritava: “Quem quer Eleições Diretas ? “. Todos os presentes gritavam em afirmativo. Segundo o jornalista Carlos Brickman, que esteve no na época cobrindo o evento para o jornal Folha de S.Paulo, “O povo acabou sendo o melhor desta festa”.
Os presentes cantavam canções de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Chico Buarque de Holanda, até que juntos com Fafá de Belém todos começaram a cantar o hino nacional, era o grito entupido na garganta do povo há mais de 20 anos.
Isso significava o lógico, o governo de João Baptista Figueiredo estava desgastado, o próprio regime militar estava em ruínas, entre 78 e 83, a renda da população caiu mais de 10 por cento, a inflação descontrolada atingiu seu ápice de 220 por cento em meados de 1984. A Dívida Externa era enorme e com isso o Brasil não conseguia mais empréstimos no estrangeiro. Piorando tudo isso, os protestos, greves e a oposição ao governo ficaram praticamente descontroladas. Figueiredo até tentou quebrar com tudo isso, proibindo coligações e o voto vinculado, na qual o eleitor podia optar apenas por uma chapa.
Isso não deu certo e o suspiro final contra o regime militar foi o movimento das Diretas-Já. A esquerda foi a primeira a aderir, tendo a sua frente Luiz Inácio Lula da Silva, depois viriam os outros partidos trazendo a oposição e até conseguindo quebrar o PDS (Atual governo).
Paulo Salim Maluf (PDT), famosa personalidade política do país, não participou do Movimento por que fazia parte do governo militar.
Até a Rede Globo que até o último momento negava em mostrar informações sobre a manifestação, se entregou ao ritmo dos manifestantes.
No dia seguinte, data da votação do projeto das Diretas-Já, o Congresso Nacional derrubou a emenda de Dante de Oliveira. O País amanheceu em luto, o sonho de milhões de brasileiros não tinha se realizado, mas não foi uma derrota total, pois abriu portas para o surgimento de uma nova Frente Liberal que resultaria na escolha indireta do próximo presidente da República, em 1985 que foi Tancredo Neves, que morreu logo após sua posse por problemas de saúde.
Mas os primeiros passos para a retomada da democracia tinha sido tomada. Em 1992 Fernando Collor de Mello foi eleito presidente do Brasil. Depois de um longo processo de impeachment, Itamar Franco assumiu o cargo de presidente da República até as próximas eleições onde Fernando Henrique Cardoso, até então ministro da fazenda, ganhou as eleições graças ao Plano Real, um plano econômico que tinha como funções à estabilidade da moeda e da economia, vitória que garantiu sua reeleição em 1998.
O Brasil é muito mais do que o país do futebol e do carnaval, é uma terra de fortuna apesar dos graves problemas sociais típicos de um país desta grandeza que busca seu desenvolvimento. Uma terra na qual foi inventado o avião (Santos Dumont) e o rádio (Padre Landell). Uma nação com um povo de diversas culturas, raças e credos. Um Brasil de natureza exuberante, praias sem fim, um parque industrial moderno.
O Brasil está aberto para todos que quiserem conhecê-lo, inclusive para Matt Groening, o criador do desenho animado Os Simpsons.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home